CRUZAMENTO DE DADOS DO TJ E DO IML DÁ BAIXA EM 113 MANDADOS DE PRISÃO PENDENTES DE CUMPRIMENTO

Dados dos mandados de prisão judiciais foram cruzados com as entradas de corpos no IML, resultando na baixa do sistema do Tribunal de Justiça

Como resultado da utilização de ferramentas de análise de dados pela Polícia Civil com o cruzamento de informações do Instituto Médico Legal (IML), a instituição identificou que há pelo menos 113 mandados de prisão que não estão mais pendentes de cumprimento em Sergipe. O motivo é que as decisões judiciais são contra pessoas que já vieram a óbito. O mapeamento é dos novos projetos tecnológicos da Polícia Civil que tem como objetivos melhorar indicadores e otimizar a aplicação de recursos nas investigações.

O resultado do mapeamento foi obtido pelo assessor de tecnologia da Delegacia Geral, responsável pela análise e manutenção da plataforma de inteligência e negócios da Polícia Civil, Álvaro Lucas.

A identificação dos mandados de prisão que não mais estão pendentes de cumprimento no estado é uma das iniciativas da Polícia Civil de Sergipe. “Dentre diversos projetos, está a análise dos mandados de prisão no Banco Nacional de Mandados do Conselho Nacional de Justiça. Fizemos uma análise com recursos tecnológicos fazendo o cruzamento desses mandados com a entrada de cadáveres no IML”, destacou Álvaro.

Conforme o assessor de tecnologia, o mapeamento de dados entre Polícia Civil e o IML possibilitou a identificação dessas decisões judiciais pendentes de cumprimento. “Através deste estudo, identificamos 113 mandados de prisão contra pessoas já falecidas. A partir dessa análise foi confeccionada uma nota técnica, em que será juntada a documentação comprobatória dessas mortes para ser encaminhada ao Tribunal de Justiça”, explicou.

Ainda segundo Álvaro Lucas, o mapeamento permite a otimização dos recursos aplicados em investigações pela Polícia Civil de Sergipe. “Vale destacar que a medida não só reduz o número de mandados pendentes relativos a Sergipe, mas também diminui custos, pois evita diligências que seriam empregadas para o cumprimento desses mandados de prisão e permite o arquivamento desses processos”, finalizou o assessor de tecnologia.

 

Fonte: SSP/SE

admin

admin

Deixe uma resposta