MAPA DE INOVAÇÃO: REGIÃO NORDESTE É DESTAQUE EM DIGITAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO

Um estudo da Terracotta Ventures que mapeia o segmento imobiliário tecnológico, lançado em maio deste ano, revelou que o número de startups do setor cresceu no ano passado: a quantidade das chamadas Construtechs e Proptechs aumentou 11,8% em 2022, superando a marca de mil empresas ativas.  

A estatística comprova a alta do movimento chamado digitalização do mercado imobiliário, encabeçado pelas startups voltadas para a construção de imóveis (Construtechs), e pelas que cuidam da gestão de imóveis a partir de tecnologias disruptivas (Proptechs) 

Apesar dos maiores polos de empreendedorismo do setor imobiliário ainda serem capitais do Sul e do Sudeste, o Mapa da Terracotta Ventures revelou que Nordeste e Centro-Oeste registraram ritmo de crescimento superior à média nacional em 2022, 17,8% e 13,9%, respectivamente.  

Do número total de startups do setor imobiliário no Brasil, 75,5% das estão nos estágios iniciais. 

 

Proptechs e Construtechs  

O termo Proptech significa property technology, ou tecnologia de propriedade. São startups ligadas a processos de aluguel, compra, venda e gestão de imóveis, que atuam na linha de frente da desburocratização, democratização, e otimização do fechamento de negócios no setor imobiliário.  

Já o termo Construtech é a junção da Construção Civil com a tecnologia, que dá origem a iniciativas cuja missão é oferecer soluções tecnológicas que melhoram a produtividade e execução das obras. 

Sobre estas iniciativas, os estudos do setor contam que aProptechs tiveram um boom de crescimento no ano de 2020. De acordo com um relatório do CB Insights, as transações imobiliárias das Proptechs subiram 61% entre 2015 e 2019. 

De acordo com as análises, muito se deve aos desafios impostos pela pandemia de Covid-19, mas também à própria mudança de cultura no setor imobiliário, conhecido como tradicional quanto ao uso de novas tecnologias. 

Ainda segundo a Terracotta Ventures 2022, houve um crescimento de 282% no número de startups deste tipo em atividade no Brasil desde 2017. 

 

Exemplo de sucesso no menor estado do país

Nascida em 2012, a empresa sergipana CV CRM é um exemplo de Proptech que seu certo. Fundada por Fábio Garcez, Toninho Garcez e Gabriel Manzano, a então startup Construtor de Vendas cresceu e se destacou em todo o Brasil: atualmente atende 25% da sua fatia de mercado no território nacional. 

Conhecido como o primeiro CRM 5.0 do mercado imobiliário, o CV (como é chamado por colaboradores e clientes) se tornou a principal plataforma de gestão imobiliária do país. 

Dez anos após sua criação, em 2021, a empresa comemorou o encerramento do ano com incríveis R$ 63 bilhões em vendas transacionadas dentro da plataforma, acumuladas desde o início. No mesmo ano, 79 mil corretores já usavam o software para gestão unificada de leads.  

Em 2023, já são 155 mil corretores, figurando um aumento de 76% em dois anos.  

Para o CEO do CV CRM, fazer parte da história da digitalização do setor imobiliário do Brasil é um privilégio e um desafio. “Desde o início foi necessário ter muita coragem e ousadia, porque empreender como proptech é apaixonante, mas também exige dedicação total. O bom é olhar para essa história e se orgulhar desses números, e do avanço do próprio mercado”, comemora.  

Recentemente o CV CRM lançou a websérie Transforma Inc., que narra a história da digitalização do ramo das incorporadoras no Brasil. Para acompanhar, acesse: http://transformainc.com.br 

 

 

Atenciosamente, 

Flávia Sofia 

Jornalista

EmSergipe

EmSergipe

Deixe uma resposta