OBSERVATÓRIO MARIA BEATRIZ NASCIMENTO DISPONIBILIZA MAPA DA MULHER SERGIPANA PARA CONSULTA DE DADOS REFERENTES AO PÚBLICO FEMININO

O acesso público pode ser feito por meio da página principal do site oficial do Governo de Sergipe
Desenvolvido pelo Observatório Maria Beatriz Nascimento, uma das diretorias da Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SPM), o Mapa da Mulher Sergipana já está disponível para a sociedade. Ele conta com dados referentes ao público feminino do estado, coletados pelo Observatório Beatriz Nascimento. O acesso público pode ser feito por meio da página principal do site oficial do Governo de Sergipe.
Estão disponíveis dados referentes à população feminina, faixa etária, renda, inscritas no CadÚnico, além dos tipos de violência. A exposição dos números proporciona a compreensão das particularidades do cenário da mulher no estado, inclusive com a utilização de filtros, a exemplo de município, território, entre outros.
Os dados já estavam sendo expostos pelo Observatório nas capacitações promovidas pela SPM nos municípios para os profissionais que atuam na rede de proteção à mulher. “Apresentamos, por exemplo, a quantidade de mulheres por municípios, que geralmente supera o de homens, em alguns casos chega a mais de 60% da população geral. Detalhamos, ainda, a renda média (pobreza, extrema pobreza) e o quantitativo de inscritas no CadÚnico, que garante acesso aos programas sociais”, explica a gerente do Observatório, Erika Leite.
Erika Leite disse que, por meio do mapa, também é exposto dados sobre violência contra a mulher no município, com algumas especificações de quais localidades registram mais casos, o dia da semana e o período. “Com isso, é possível que a rede de proteção à mulher atue com um maior foco para combater este tipo de crime, inclusive solicitando a presença mais constante da polícia”, complementa Erika Leite.
Além do conhecimento sobre a realidade local, os dados podem ser utilizados na elaboração de políticas públicas que atendam às demandas das mulheres. “Os números podem contribuir, por exemplo, na captação de recursos para viabilizar a implementação de projetos que atendam as demandas das mulheres, seja no combate à violência contra as mulheres, inclusão produtiva e garantia de renda, entre outras ações”, ressalta.
De acordo com a gerente, o Observatório está à disposição dos municípios e demais órgãos da sociedade para apresentar os dados coletados. “Que podem entrar em contato por e-mail (omse@spm.se.gov.br) para oficiar o Observatório e solicitar dados. Também estamos à disposição para o agendamento de reuniões e outros eventos para fazer a apresentação e o detalhamento dos números”, salienta Erika Leite.
Por: Assessoria
admin

admin

Deixe uma resposta