OPERAÇÃO ESCUDO NA BAIXADA SANTISTA TEM 10 PRISÕES

Suspeito de matar soldado da Rota no Guarujá está entre os detidos

A Operação Escudo para repressão ao tráfico de drogas e ao crime organizado na Baixada Santista registrou dez prisões neste final de semana, de acordo com balanço apresentado pelo Governo de São Paulo na manhã desta segunda-feira. A prisão do suspeito de matar o soldado PM Patrick Bastos Reis, das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), na última quinta-feira (27), também foi confirmada.

“A gente está enfrentando o tráfico de drogas e o crime organizado e temos que ter consciência disso”, declarou Tarcísio de Freitas. Em relação às oito mortes em confronto registradas durante a ação, o governador ressaltou que as forças de segurança atuam para prender os criminosos e o enfrentamento é resultado da ação dos bandidos e não dos policiais.

“A polícia quer evitar o confronto de toda forma. Ninguém quer o confronto. Agora, nós temos uma polícia treinada e que segue à risca regras de engajamento. A partir do momento que a polícia é hostilizada e a autoridade policial não é respeitada, infelizmente há o confronto. A gente não quer o confronto, não deseja o confronto de jeito nenhum. Tanto é que nós tivemos dez prisões”, afirmou o governador em entrevista coletiva.

A entrevista também reuniu o secretário estadual da Segurança Pública, Guilherme Derrite, o delegado geral da Polícia Civil, Artur Dian, e o comandante geral da PM, Cássio Araújo de Freitas. Com efetivo de mais de 600 policiais, a Operação Escudo foi deflagrada logo após o assassinato do soldado Reis e terá prosseguimento mesmo após a prisão do suspeito do crime.

“Cada ocorrência é investigada. Não há ocorrência que não seja investigada. Nós temos a presença da Polícia Civil, e todas as ocorrências vão ser investigadas. A gente está enfrentando o tráfico de drogas e o crime organizado e temos que ter consciência disso”, reforçou o governador.

De acordo com o secretário Derrite, quatro dos oito suspeitos mortos durante confrontos com a polícia já foram identificados e todos têm antecedentes criminais. Ele também afirmou que o vídeo gravado pelo suspeito de assassinar o PM Reis foi produzido por orientação da defesa do acusado e que as circunstâncias de cada ocorrência na Operação Escudo estão sendo investigadas.

“É uma estratégia do crime organizado, inclusive, cooptar moradores e pessoas das comunidades que também são vítimas do tráfico de drogas apresentando versões. Já temos casos de inquéritos instaurados e, ao longo da investigação, chega-se à conclusão que partiu ordem do crime organizado para que a pessoa dizer que viu isso ou aquilo. E, no final das contas, é provado que não aconteceu”, disse o secretário.

 

Cracolândia

Em outra operação policial no último domingo (30), a Polícia Civil prendeu 15 suspeitos de tráfico de drogas na região da cracolândia, no centro da capital. A ação foi realizada com o objetivo de combater o tráfico de drogas com o empenho de 60 policiais civis em 30 viaturas. A Guarda Civil Metropolitana (GCM) também prestou auxílio.

Durante as investigações, os policiais civis identificaram suspeitos envolvidos em atividades criminosas na área e, a partir das informações do relatório de inteligência, agiram para efetuar as prisões. Entre as equipes estavam policiais da 1ª Delegacia Seccional (Centro), 3º Distrito Policial (Campos Elíseos), 8º Distrito Policial (Brás) e 77º Distrito Policial (Santa Cecília). Além das prisões, também houve apreensão de drogas como cocaína, maconha, crack e o entorpecente sintético conhecido como K9.

No primeiro semestre, as polícias prenderam 1.322 suspeitos na região da cracolândia, um número quase 70% maior em relação ao mesmo período de 2022. Anteriormente, em abril, o número de roubos e furtos caiu – algo inédito em 15 meses. Desde então, esses índices vêm acumulando semanas seguidas de queda.

As forças de segurança permanecem empenhadas em combater a criminalidade na região central e garantir a segurança da população. “O esforço feito para melhorar a segurança pública no nosso estado é muito grande e nós vamos continuar priorizando a Baixada Santista e o centro da cidade de São Paulo”, concluiu o governador.

Fonte: Portal do Governo de São Paulo

admin

admin

Deixe uma resposta