PREFEITURA DE SOCORRO LANÇA O BEM, PROJETO DE AUXÍLIO FINANCEIRO PARA ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DO MUNICÍPIO

Com o novo benefício, o número de alunos atendidos pelo transporte escolar universitário será ampliado, saindo dos atuais 607, com a possibilidade atender 1500 alunos. Nos locais onde não há transporte coletivo regular, o Transporte Universitário será mantido.
No início deste mês de agosto a Câmara Municipal de Nossa Senhora do Socorro aprovou o Projeto de Lei 93/2023, do poder executivo do município, que altera a Lei de regulamentação do transporte escolar universitário municipal. O ato deixou alunos receosos de que o Transporte Universitário pudesse acabar. Mas, pelo contrário, a intenção da gestão municipal é de auxiliar o custeio dos gastos com o transporte estudantil e ampliar a inclusão de alunos que necessitam do apoio do município para o deslocamento para os locais de estudo.
Para isso, e agora com o recurso legal da lei, a Prefeitura de Socorro criou o Benefício Estudantil Municipal (BEM), que oferecerá auxílio financeiro mensal para os universitários que atendam aos critérios da assistência financeira. “A ideia do benefício se deu quando vimos o resultado do último edital do Transporte Universitário. Mais de 1400 alunos se inscreveram, mas o município só tinha a condição de contemplar pouco mais de 600 estudantes. Não seria justo deixar tantos alunos sem o transporte”, relembra Padre Inaldo, prefeito de Socorro.
Com o novo benefício, aproximadamente 1500 alunos podem ser contemplados com o projeto. O BEM será utilizado no transporte coletivo; cada aluno receberá o valor de duas passagens por dia. “O BEM será voltado para os alunos que residem em locais onde têm circulação regular de ônibus. Nos lugares onde não tem o transporte regular, a Prefeitura de Socorro irá manter a circulação do Transporte Universitário”, garante Vivianne Sobral, procuradora do município.
EDITAL
O edital do Benefício Estudantil Municipal será lançado no próximo dia 30 de agosto e as inscrições iniciam no dia 4 de setembro. “Toda mudança, por menor que seja, gera um pouco de dilema e repercussão. Mas o município tem total consciência que está contribuindo com a igualdade social e com as famílias que têm dificuldades para custear os estudos dos filhos”, afirma Aída Santana, secretária de Assistência Social.
Por: SECOM / Nossa Senhora do Socorro
Redação EmSergipe

Redação EmSergipe

Deixe uma resposta