SETOR DE EVENTOS FECHA O PRIMEIRO SEMESTRE COMO UM DOS PRINCIPAIS GERADORES DE EMPREGOS NO PAÍS

Enquanto áreas como agropecuária (-1,9%), construção civil (-8,7%) e indústria (-37,4%) registraram um decréscimo, o segmento teve um crescimento de 42,3%, no saldo acumulado entre janeiro e junho.

O setor de eventos de cultura e entretenimento foi um dos maiores geradores de empregos no país no primeiro semestre de 2023, apontam os dados do Radar Econômico, estudo realizado pela Associação Brasileira dos Promotores de Eventos – ABRAPE com base em dados do IBGE e do Ministério do Trabalho e Previdência. No saldo acumulado entre janeiro e junho, o segmento teve um crescimento de 42,3%, enquanto outras áreas como agropecuária (-1,9%), construção civil (-8,7%) e indústria (-37,4%) registraram um decréscimo, comparado ao mesmo período do ano passado.

O índice foi impulsionado pelo desempenho do core business do setor, que abrange atividades como organização de eventos; atividades artísticas, criativas e de espetáculos; atividades ligadas ao patrimônio cultural e ambiental; atividades de recreação e lazer; e produção e promoção de eventos esportivos. Foram geradas 12.348 vagas de empregos no primeiro semestre de 2023 com crescimento de 42% sobre mesmo período de 2022 (8.676). Só no mês de junho foram 4.095 vagas, melhor resultado mensal desde o início da pandemia

“Todos estes segmentos que fazem parte do core business estão com nível superior médio de 10,9% ao registrado em 2019, portanto em um cenário pré-pandemia. Estes resultados refletem a importância do Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE), que permitiu uma rápida retomada do setor após o longo período de paralisação provocado pela pandemia. Ofereceu segurança jurídica, tributária e econômica para pudéssemos voltar a gerar empregos e movimentar a economia em todo o país”, reforça  o empresário Doreni Caramori Júnior, presidente da ABRAPE.

O PERSE é o único programa do Governo Federal direcionado para um setor da economia criado durante a pandemia e que engloba um conjunto de cinco leis (14.046, 14.148, 14.161, 14.179 e 14.186). Abrangem cinco pontos importantes para o segmento: refinanciamento de dívidas, créditos para sobrevivência das empresas, desoneração fiscal, manutenção de empregos e condições de adiamento e cancelamento de atividades.

Consumo A estimativa de consumo no setor chegou a R$57 bilhões no primeiro semestre, resultado 14,4% superior ao mesmo período de 2022 (R$49 bilhões). Em Junho, o índice foi de R$9.6 Bilhões, o melhor mês desde que a série histórica deste indicador iniciou em 2019.

Assessoria de Imprensa – ABRAPE 

admin

admin

Deixe uma resposta